Na contemporaneidade, família e escola são as mais importantes instituições formativas do ser humano. Diante de tamanha responsabilidade, é preciso que ambas entendam seus papéis frente à missão de formar.

A família é a primeira e principal educadora. Segundo Szymanzki (2003 p.22) “é na família que a criança encontra os primeiros ‘outros’ e, por meio deles, aprende os modos de existir – seu mundo adquire significado e ela começa a constituir-se como sujeito”. Sendo a família o espaço onde se emerge o ser, é preciso que esta se perceba como a mola propulsora às demais formações. O ser esculpido pela família desde a mais tenra infância, será de fundamental importância à modulação das demais habilidades intrínsecas ao processo de existir.

Assim, a escola receberá o ser e à ela cabe ensinar conteúdos da área do saber, trabalhando habilidades sociais e intelecto-cognitivas. Dessa forma, família e escola, cumprindo suas respectivas funções entre o ser e o saber, devem unir esforços para que o aluno seja o principal beneficiado.

A relação família-escola, portanto, é de fundamental importância para o processo ensino-aprendizagem. Pesquisas mostram que alunos devidamente acompanhados por seus responsáveis, apresentam desempenho mais satisfatório que aqueles onde os responsáveis se eximem da presença e participação. A negligência ou não cumprimento adequado de suas responsabilidades, tem impacto direto na educação do aluno. Em quadro anexo, seguem algumas idéias para que as famílias possam participar mais ativamente da vida escolar dos alunos.

Porém, a escola contemporânea precisa compreender e se integrar às novas realidades. Neste contexto, ferramentas eletrônicas apresentam-se como uma nova forma de estar junto, colaborando com o acompanhamento contínuo dos pais que, infelizmente, nem sempre podem estar presentes. O Colégio Savina, ciente da importância de caminhar com inovação, investe cada vez mais nestas ferramentas, como no aplicativo eduCONNECT, site e redes sociais da nossa escola, no intuito de dirimir ruídos de informação, agilizar a comunicação e permitir à família estar mais próxima à rotina escolar.

Ainda assim, a presença dos pais continua sendo de fundamental importância para a evolução do aluno. É com o diálogo e o estreitamento das relações pessoais que a família permite à escola uma visão ampla da realidade do aluno; a escola partilha de modo detalhado o desempenho humano-pedagógico do filho, bem como se tece uma relação de confiança e parceria.
Família, parafraseando Madre Savina, nossas obras devem dizer aos nossos filhos e alunos que o amamos.

Ana Clara Bezerra Sousa
Psicóloga
Especialista em Gestalt-terapia
CRP 03/11609